ESCRITOR DA VIDA

P.I.S.T.A. #28 Dia 25 de julho foi celebrado o dia nacional do escritor. Acredito que todos nós somos escritores. Da própria vida, quero dizer. A vida é este recorte temporal que nada mais é que uma oportunidade de escrever a própria experiência e de vislumbrar novas aventuras. Neste mundo da matéria, o real é oContinuar lendo “ESCRITOR DA VIDA”

Reflexões: xilema, floema, poema

P.I.S.T.A. #27 Vi uma árvore em seu inverno. Viajei em uma ideia. A ideia da dualidade integrada da árvore. Raízes profundas escondidas no escuro e embaixo da terra, invisível. Galhos da copa que florescem na estação certa, mostrando vitalidade no visível. São opostos que se integram, o formato deles são parecidos. Em análise mais profunda,Continuar lendo “Reflexões: xilema, floema, poema”

(In)Certezas

P.I.S.T.A. #26 Humberto Gessinger, filósofo contemporâneo que sublima as suas ideias na forma de música, escreveu em uma de suas obras: “Eu posso estar completamente enganadoEu posso estar correndo pro lado erradoMas a dúvida é o preço da purezaE é inútil ter certeza”. Converso com Gessinger na minha dimensão imaginativa, tomando um chimarrão (já experimenteiContinuar lendo “(In)Certezas”

REVOLUÇÃO II

P.I.S.T.A. #25 Hoje eu completo mais uma revolução solar. É a trigésima sexta vez que eu testemunho o Sol passar naquela mesma posição, em algum lugar do Universo, pela Constelação de Gêmeos. Evento grandioso? Nem um pouco, nada de especial, o Sol não se importa. Apenas mais uma vida desafiando as Leis Entrópicas do Universo.Continuar lendo “REVOLUÇÃO II”

ENTARDECERES…

O BARBEIRO DE PLANTAS #32 O tempo colore sutilmente as paisagens, (des)colore as passagens. A vida é uma profusão de alvoradas e entardeceres. “De tarde um homem tem esperanças.” Versou Manoel, o mestre dos (des)afazeres. Vem a penumbra e a esperança de nova alvorada. O coração do homem é um eterno rolar de rocha morroContinuar lendo “ENTARDECERES…”