As peripécias do Casalzinho Bacana #06

RUMORES E AMORES Já era comentado na vizinhança. O casal aparentemente não estava se dando bem.   Às vezes era possível ouvir. Estavam proferindo impropérios um contra o outro. Mas não eram palavras de baixo calão. Eram insinuações sutis, como uma ofensa velada.  Os vizinhos mais próximos podiam confirmar. – Você tem um popô peludo! –Continuar lendo “As peripécias do Casalzinho Bacana #06”

As peripécias do Casalzinho Bacana #05

(crédito da imagem: artista Raquel Segal – perfil no Instagram @aqueleeitaoficial) Alegria de casal Foi o meu amigo Filipão quem me enviou a imagem que ilustra este texto. E posso dizer, como praticante e devoto da instituição “Casamento com a Tátá”, que cada linha da figura é verdade para um “falo”.  Aconteceu aqui em casa. Continuar lendo “As peripécias do Casalzinho Bacana #05”

As peripécias do Casalzinho Bacana #04

Essencial A sorte foi ser um Casalzinho Bacana. Os amigos e parentes ajudaram muito. A mesa com quatro cadeiras era da cozinha da casa dos pais que estava meio que sobrando lá; e o colchão de espuma de casal doado pelos papitos da noiva. “Não está tão bom, é para quebrar o galho”, era oContinuar lendo “As peripécias do Casalzinho Bacana #04”

As peripécias do Casalzinho Bacana #03

AONDE VOCÊ MORA? Era dezembro. Clima de Natal.  No final da celebração eucarísitca o casal foi chamado para o centro do altar. Deram-se as mãos e o padre deu a benção. Foi uma espécie de pré-casório, não se sabe se isso é comum. Depois, cantaram “Parabéns pra você”. Era o aniversário da mais nova noivaContinuar lendo “As peripécias do Casalzinho Bacana #03”

As peripécias do Casalzinho Bacana #02

À LÁ RODRIGO HILBERT (na visão DELA!) Eu sempre perdi brincos, anéis, pulseiras e afins. Aos cinco anos perdi um anel de ouro que era herança de família. Ele apareceu dias depois, todo amassado porque estava perdido no tapete e foi muito pisoteado. Foi triste. Por essa razão, sempre deixei claro que não me importariaContinuar lendo “As peripécias do Casalzinho Bacana #02”

As peripécias do Casalzinho Bacana #01

À LÁ RODRIGO HILBERT (na visão dele!) Ele se lembra da severidade quase profética da irmã mais velha: – Não vá perder essa mulher! A irmã sabia. Ele também. Era ela. Comprou os anéis na joalheria escolhida após uma pesquisa criteriosa de mercado. Que belas peças reluzentes! Parecia que saíram do filme “O Senhor dosContinuar lendo “As peripécias do Casalzinho Bacana #01”