MEMENTO MORI

Pintura Still Life with a Skull de Philippe de Champaigne (1671) P.I.S.T.A. #21 Lucrécio (94 a.C. – 50 a.C.), poeta e filósofo romano, escreveu: “Não importa quantas gerações você viva, a mesma morte eterna ainda está esperando, e para alguém que chega ao fim da vida enquanto o sol se põe hoje, terá um períodoContinuar lendo “MEMENTO MORI”

Jardineiro de dentro

P.I.S.T.A. #20 Olá caro leitor do outro lado da telinha! Hoje tem Prosa (pra) Sortá (os) Trem Acumulado. Bora viajar nessa pista. Li certa vez uma frase de Rubem Alves: “Se eu não fosse escritor acho que seria um jardineiro. No paraíso, Deus não construiu altares e catedrais. Plantou um jardim. Deus é um jardineiro.Continuar lendo “Jardineiro de dentro”

P.I.S.T.A. #19

Fonte da imagem: https://cpaq.ufms.br/projeto-de-extensao-sobre-poesia-e-infancia-com-manoel-de-barros-convida-para-abertura-de-suas-acoes/ (AR)RISCO POEMAS Nesta prosa vou falar de poemas. Poema é um estilo de escrita fascinante. O caro leitor e a cara leitora devem ter estudado nas aulas de Literatura tantos autores e tantas formas de escrever um poema, seguindo determinada escola e determinada métrica e rimas, etc. Não me apego aContinuar lendo “P.I.S.T.A. #19”

P.I.S.T.A. # 18

LIBERDADE (AINDA QUE TARDE) Hoje eu li uma frase de Fabrício Carpinejar que me chamou muito a atenção. Eis aqui o que ele escreveu: “Desperdício é nascer diferente e passar a vida inteira tentando ser igual aos outros.” Na hora, eu me lembrei de uma frase atribuída a Carl Jung: “Nascemos originais e terminamos cópias.”Continuar lendo “P.I.S.T.A. # 18”

P.I.S.T.A. #17

ALERGIA A “DOMINGO À TARDE” Domingo. Após as dezessete horas é batata: a alergia aparece com ataques de espirros e coceiras. Um trabalho intenso do corpo rejeitando a segunda-feira que se iniciará em algumas horas. Não se trata da segunda, e sim do que significa o dia: retorno a uma rotina não raramente estressante eContinuar lendo “P.I.S.T.A. #17”

P.I.S.T.A. #16

Escrevi quase por querer Olá caro leitor do outro lado da telinha! Hoje tem Prosa (pra) Sortá (os) Trem Acumulado. Bora viajar nessa pista. Ouvi no rádio outro dia a música “Quase sem querer” do Legião Urbana. Música linda. Letra magnífica. Levanto discussão sobre uma parte, quando Renato e confrades dizem que já não souContinuar lendo “P.I.S.T.A. #16”

P.I.S.T.A. #15

Sobre as necessidades da Criança Interna Costumo imaginar que há vários Eus dentro de mim. O Eu Criança, a minha criança interna, detêm as minhas emoções imaturas. Não raramente ela aparece. Hoje mesmo deu as caras. A minha criança traz as necessidades elaboradas na infância não atendidas e crenças muito enraizadas. Necessidades que naquele tempoContinuar lendo “P.I.S.T.A. #15”

P.I.S.T.A. #14

SOL E LUA, LUZ E SOMBRA Olá caro leitor do outro lado da telinha! Hoje tem Prosa Inventiva (pra) Sortá (os) Trem Acumulado. Minha viagem de hoje na Pista tem a ver com a imagem que ilustra este texto. Foi durante uma aula do curso de holoterapia transpessoal que vi a figura e meditei sobreContinuar lendo “P.I.S.T.A. #14”

P.I.S.T.A. #13

LEGADO Certa vez Rubem Alves escreveu: “Vou plantar uma árvore. Será o meu gesto de esperança. Mas o mais importante de tudo: ela terá que crescer devagar. Tão devagar que à sua sombra eu nunca me assentarei. O primeiro a plantar uma árvore à cuja sombra nunca se assentaria foi o primeiro a pronunciar oContinuar lendo “P.I.S.T.A. #13”

P.I.S.T.A. #12

(Des) Aprendizagem sustentada Olá caro leitor e cara leitora do outro lado da telinha! Hoje tem Prosa Inventiva (pra) Sortá (os) Trem Acumulado. Viaje nesta pista comigo! A grande arte de ser feliz é aprender a desaprender. Rubem Alves quem me disse. É esvaziar o balde para poder reciclar as coisas. Balde cheio não (re)Continuar lendo “P.I.S.T.A. #12”