Reflexões: xilema, floema, poema

P.I.S.T.A. #27 Vi uma árvore em seu inverno. Viajei em uma ideia. A ideia da dualidade integrada da árvore. Raízes profundas escondidas no escuro e embaixo da terra, invisível. Galhos da copa que florescem na estação certa, mostrando vitalidade no visível. São opostos que se integram, o formato deles são parecidos. Em análise mais profunda,Continuar lendo “Reflexões: xilema, floema, poema”

(In)Certezas

P.I.S.T.A. #26 Humberto Gessinger, filósofo contemporâneo que sublima as suas ideias na forma de música, escreveu em uma de suas obras: “Eu posso estar completamente enganadoEu posso estar correndo pro lado erradoMas a dúvida é o preço da purezaE é inútil ter certeza”. Converso com Gessinger na minha dimensão imaginativa, tomando um chimarrão (já experimenteiContinuar lendo “(In)Certezas”

ENTARDECERES…

O BARBEIRO DE PLANTAS #32 O tempo colore sutilmente as paisagens, (des)colore as passagens. A vida é uma profusão de alvoradas e entardeceres. “De tarde um homem tem esperanças.” Versou Manoel, o mestre dos (des)afazeres. Vem a penumbra e a esperança de nova alvorada. O coração do homem é um eterno rolar de rocha morroContinuar lendo “ENTARDECERES…”

OLHE PARA CIMA (de vez em quando)

P.I.S.T.A. #24 No fundo, lá no fundo, eu tenho uma ideia de que as coisas que passamos servem para nos ajudar a SER mais humano. Viemos para cá para isso, não é mesmo? Não foi para ser quartzo rosa, uma samambaia, uma flor de laranjeira ou um cachorro (que por vezes acho que são melhoresContinuar lendo “OLHE PARA CIMA (de vez em quando)”

Poeminhas ligeiros – “O BARBEIRO DE PLANTAS” #18

SATCITANANDA, EU SOU A PAZ Satcitananda. Eu sou a paz. Eu sou a resposta para todas as minhas perguntas. Satcitananda. Eu sou a alegria. A consciência do Eterno mora em mim. Eu sou a arte da vida. Matéria das estrelas. Satcitananda. Eu sou a luz que irradia amor. O néctar que move todas as coisas.Continuar lendo “Poeminhas ligeiros – “O BARBEIRO DE PLANTAS” #18″

Poeminhas ligeiros – “O BARBEIRO DE PLANTAS” #16

TAT TVAM ASI, TU ÉS ISTO Tat Tvam Asi. Tu és isto. A consciência em um veículo. Entre milhões de sinapses, dentro da fenda escura. Tu és isto. Milhões de pensamentos que tomaram um corpo físico, em um finito trecho no Tempo, no Universo infinito. Dentro da brecha bioelétrica, entre fenômenos biomagnéticos… Tu és isto.Continuar lendo “Poeminhas ligeiros – “O BARBEIRO DE PLANTAS” #16″

P.I.S.T.A. #14

SOL E LUA, LUZ E SOMBRA Olá caro leitor do outro lado da telinha! Hoje tem Prosa Inventiva (pra) Sortá (os) Trem Acumulado. Minha viagem de hoje na Pista tem a ver com a imagem que ilustra este texto. Foi durante uma aula do curso de holoterapia transpessoal que vi a figura e meditei sobreContinuar lendo “P.I.S.T.A. #14”

Pílulas de sabedoria da Rita Bee #07

VALORES Era a época do Solstício. Uma época de festa no Reino de Colmeia. Todas as abelhas se reuniam para celebrar a passagem de mais um ciclo de estações. As casas ficavam decoradas com faixas coloridas, uma mais bonita que a outra. As iguarias da época agradavam os estômagos de todas as abelhas: favos deContinuar lendo “Pílulas de sabedoria da Rita Bee #07”