ROUPA SUJA

(Imagem: perfil do Instagram @manoelismos) Poeminhas ligeiros – O Barbeiro de Plantas #29 Sujos da civilização, embaçados da convicção de que esta é a forma civil de (sobre)viver. Coisificando o tempo. Penso que seria legal verdificar o tempo, que nem árvore. No estado de árvore, pra ser mais Contributivo, Pleno, Resiliente! O que acha, Manoel?

CAOS

(Imagem: mural de Banksy) Poeminhas ligeiros – O Barbeiro de Plantas #28 O Segredo se esconde dentro da ordem.O Universo é o caos.A Vida é a ordem.A Vida é um desafio ao Universo.Organizada em células, tecidos, órgãos, corpo, mente e espírito.O Segredo está na ordem.O Segredo é a Vida.Viver é um ato de rebeldia.Viver éContinuar lendo “CAOS”

APELO ÀS ESSÊNCIAS ENTORPECIDAS

Poeminhas ligeiros – O BARBEIRO DE PLANTAS #25 “Se a maneira como você vive a vida é uma resposta para como os outros queriam que você vivesse, então essa vida não é sua.” (Richard Taylor, filósofo) Eis a dicotomia: És Criador ou Criatura? És Sujeito ou Objeto? Estamos meros cumpridores de obrigações, Sem escrever aContinuar lendo “APELO ÀS ESSÊNCIAS ENTORPECIDAS”

P.I.S.T.A. #19

Fonte da imagem: https://cpaq.ufms.br/projeto-de-extensao-sobre-poesia-e-infancia-com-manoel-de-barros-convida-para-abertura-de-suas-acoes/ (AR)RISCO POEMAS Nesta prosa vou falar de poemas. Poema é um estilo de escrita fascinante. O caro leitor e a cara leitora devem ter estudado nas aulas de Literatura tantos autores e tantas formas de escrever um poema, seguindo determinada escola e determinada métrica e rimas, etc. Não me apego aContinuar lendo “P.I.S.T.A. #19”

O BARBEIRO DE PLANTAS #21

OCASO O Astro Rei completa mais um ciclo.A luz suspira entre verdes colinas.Contorna formas para marcar o último ato.SilhuetasÀ pouca luz, vê a beleza.Integradas formas.Efêmeras.Deleite com o fim do ciclo,Início de outra penumbra.A Lua, rocha suspensa no céu, avistada.Na oposição à luz,Refletida.Sombra.Outra jornada anunciada. Amanhã a luz é esperada.Ao Astro Rei pouco importa.Mas a tuaContinuar lendo “O BARBEIRO DE PLANTAS #21”