ECOS DE OURO PRETO

O Barbeiro de Plantas #39 Na cidade histórica. Histórias da cidade contam que as escadas falam. Basta subir em Casa de Gonzaga, em Museu da Escola de Farmácia. Ouvir um silêncio: gemem as escadas. Declamam poesias de outrora e de agora. Entoam cantos de liberdade e de diversidade. Itacolomy, do tupi Pedra menino. Levante! FilhoContinuar lendo “ECOS DE OURO PRETO”

O BARBEIRO DE PLANTAS #21

OCASO O Astro Rei completa mais um ciclo.A luz suspira entre verdes colinas.Contorna formas para marcar o último ato.SilhuetasÀ pouca luz, vê a beleza.Integradas formas.Efêmeras.Deleite com o fim do ciclo,Início de outra penumbra.A Lua, rocha suspensa no céu, avistada.Na oposição à luz,Refletida.Sombra.Outra jornada anunciada. Amanhã a luz é esperada.Ao Astro Rei pouco importa.Mas a tuaContinuar lendo “O BARBEIRO DE PLANTAS #21”