Asas

P.I.S.T.A. #31 — Uau! O que são aquelas pedras penduradas naquela árvore? — perguntou agitada a criança, apontando para a margem da estrada. — Hohohoho, não são pedras, minha jovem. Aquilo são casulos — respondeu a bela borboleta que a acompanhava. — Casulos? — A árvore que você apontou é chamada de “Árvore da Vida”.Continuar lendo “Asas”

Às companheiras e aos companheiros, formandas e formandos holoterapeutas

P.I.S.T.A. #30 Meus caros companheiros, teci algumas palavras para este momento da nossa microrrede de conexão que é parte da Grande Rede do Universo. Para escrever este texto, segui a ideia da Talita. Ela sugeriu falar sobre a missão daqui pra frente, agora formados terapeutas. O assunto me tocou e as linhas para costurar esseContinuar lendo “Às companheiras e aos companheiros, formandas e formandos holoterapeutas”

AS CAMADAS QUE ME FAZEM CHORAR

P.I.S.T.A. #29 Frequentei um grupo de Pathwork e ali muitos estalos foram me ocorrendo. Foi a partir dali também que passei a me interessar mais em filosofia e estudos sobre autoconhecimento. O Pathwork, que significa literalmente “caminho”, tornou-se uma ferramenta para evolução pessoal onde foi possível realizar trocas de experiências com diversas pessoas. Neste finalContinuar lendo AS CAMADAS QUE ME FAZEM CHORAR

ESCRITOR DA VIDA

P.I.S.T.A. #28 Dia 25 de julho foi celebrado o dia nacional do escritor. Acredito que todos nós somos escritores. Da própria vida, quero dizer. A vida é este recorte temporal que nada mais é que uma oportunidade de escrever a própria experiência e de vislumbrar novas aventuras. Neste mundo da matéria, o real é oContinuar lendo “ESCRITOR DA VIDA”

Reflexões: xilema, floema, poema

P.I.S.T.A. #27 Vi uma árvore em seu inverno. Viajei em uma ideia. A ideia da dualidade integrada da árvore. Raízes profundas escondidas no escuro e embaixo da terra, invisível. Galhos da copa que florescem na estação certa, mostrando vitalidade no visível. São opostos que se integram, o formato deles são parecidos. Em análise mais profunda,Continuar lendo “Reflexões: xilema, floema, poema”

(In)Certezas

P.I.S.T.A. #26 Humberto Gessinger, filósofo contemporâneo que sublima as suas ideias na forma de música, escreveu em uma de suas obras: “Eu posso estar completamente enganadoEu posso estar correndo pro lado erradoMas a dúvida é o preço da purezaE é inútil ter certeza”. Converso com Gessinger na minha dimensão imaginativa, tomando um chimarrão (já experimenteiContinuar lendo “(In)Certezas”