ENTARDECERES…

O BARBEIRO DE PLANTAS #32 O tempo colore sutilmente as paisagens, (des)colore as passagens. A vida é uma profusão de alvoradas e entardeceres. “De tarde um homem tem esperanças.” Versou Manoel, o mestre dos (des)afazeres. Vem a penumbra e a esperança de nova alvorada. O coração do homem é um eterno rolar de rocha morroContinuar lendo “ENTARDECERES…”

ROUPA SUJA

(Imagem: perfil do Instagram @manoelismos) Poeminhas ligeiros – O Barbeiro de Plantas #29 Sujos da civilização, embaçados da convicção de que esta é a forma civil de (sobre)viver. Coisificando o tempo. Penso que seria legal verdificar o tempo, que nem árvore. No estado de árvore, pra ser mais Contributivo, Pleno, Resiliente! O que acha, Manoel?

CAOS

(Imagem: mural de Banksy) Poeminhas ligeiros – O Barbeiro de Plantas #28 O Segredo se esconde dentro da ordem.O Universo é o caos.A Vida é a ordem.A Vida é um desafio ao Universo.Organizada em células, tecidos, órgãos, corpo, mente e espírito.O Segredo está na ordem.O Segredo é a Vida.Viver é um ato de rebeldia.Viver éContinuar lendo “CAOS”

LÁGRIMAS NA JANELA

(Imagem: “Chuvoso”, óleo sobre tela, pintura de Alfredo Vieira) Poeminhas Ligeiros – O Barbeiro de Plantas #27 O presente anda com a cara meio amassada, molhada, cortada, sorumbática. Porém, é o que tem. Passado o dia, ontem. Passado o minuto. Passado o segundo… O Presente é agora. E já se foi… O presente molha eContinuar lendo “LÁGRIMAS NA JANELA”