ROUPA SUJA

(Imagem: perfil do Instagram @manoelismos) Poeminhas ligeiros – O Barbeiro de Plantas #29 Sujos da civilização, embaçados da convicção de que esta é a forma civil de (sobre)viver. Coisificando o tempo. Penso que seria legal verdificar o tempo, que nem árvore. No estado de árvore, pra ser mais Contributivo, Pleno, Resiliente! O que acha, Manoel?

CAOS

(Imagem: mural de Banksy) Poeminhas ligeiros – O Barbeiro de Plantas #28 O Segredo se esconde dentro da ordem.O Universo é o caos.A Vida é a ordem.A Vida é um desafio ao Universo.Organizada em células, tecidos, órgãos, corpo, mente e espírito.O Segredo está na ordem.O Segredo é a Vida.Viver é um ato de rebeldia.Viver éContinuar lendo “CAOS”

APELO ÀS ESSÊNCIAS ENTORPECIDAS

Poeminhas ligeiros – O BARBEIRO DE PLANTAS #25 “Se a maneira como você vive a vida é uma resposta para como os outros queriam que você vivesse, então essa vida não é sua.” (Richard Taylor, filósofo) Eis a dicotomia: És Criador ou Criatura? És Sujeito ou Objeto? Estamos meros cumpridores de obrigações, Sem escrever aContinuar lendo “APELO ÀS ESSÊNCIAS ENTORPECIDAS”

MEMENTO MORI

Pintura Still Life with a Skull de Philippe de Champaigne (1671) P.I.S.T.A. #21 Lucrécio (94 a.C. – 50 a.C.), poeta e filósofo romano, escreveu: “Não importa quantas gerações você viva, a mesma morte eterna ainda está esperando, e para alguém que chega ao fim da vida enquanto o sol se põe hoje, terá um períodoContinuar lendo “MEMENTO MORI”